João Pessoa + Campina Grande + Maceió + Aracaju – Tudo Lotado!

Ney Hugo | Macaco Bong


11/12 – sexta

Em João Pessoa foi só esperar acabar o show da banda de reggae lá fora pra começar o evento dentro do Mundo. A casa lotou, o que garantiu 3 shows com muita conexão com o público, naquele esquema peculiar único do Espaço Mundo, no alto (veja foto). No dia seguinte ficamos sabendo que o evento havia batido o recorde de bilheteria do Espaço Mundo.

Clique Abaixo e Veja o que o Coletivo Mundo colocou no blog site sobre o fato:

Tour Fora do Eixo NE – João Pessoa – Como Foi?

12/12 – sabado –

No outro dia o Mundo serviu uma feijoada poderosa, e o debate marcado ocorreu num clima muito mais próximo e de troca de que necessariamente um ambiente formal. O Coletivo Mundo ainda nos cedeu Diego (ou mais conhecido como Bróder de João Pessoa) para nos ajudar na sonorização.

(foto: Diego, o “Bróder de João Pessoa”)

Em seguida rumamos pra Campina Grande, ainda no estado da Paraíba. O surgimento do Coletivo Natora já aponta para ações e turnês interestaduais.

Mais sobre Campina Grande nos relatos de Mayra Lima, do Estúdio Coelho Branco, parceiros do Lumo Coletivo e que veio conosco na turnê.

Chegada em Campina Grande… (Mayra Carey)

Chegamos e os meninos do NaTora nos levaram pra um delicioso jantar num restaurante que eu queria muito indicar pra vocês, caros leitores… mas eu realmente nao lembro o nome, vou perguntar pros meninos. TourNE Zoo indica: Tábua de carne. Melhor janta de toda turnê!

De lá, nos dividimos – é difícil ser tanta gente – e fomos nos arrumar pro show no Bronx. Como era impossível a internet 3g em Campina Grande, tive que roubar o wifi de um garoto, simpático, porém caladão, que teve a bondade de ceder o banheiro, pra que essa pobre menininha pudesse tomar seu banhinho – e continuar sendo menininha. Não contente, quis a internet também, porque saibam, meus caros, 3g não rola em Campina Grande, aproveitei pra twittar algumas coisinhas, e me fazer presente no mundo nerdístico.


Bem, todos prontos, fomos pra naite de Campina Grande, Bronx! Lançamento do coletivo NaTora. Tudo começou bonitinho, com a banda dos meninos, Sex On the Beach, que levantou a casa. Deu pra ver que os meninos são bastante populares em Campina Grande, principalmente quando rolou “Emílio é viado”, cantado por quase todas as meninas do recinto. Burro Morto mostrou que é sucesso de vendas no interior da Paraíba, geral.

A gente aproveitou a oportunidade pra entrevistar os meninos do NaTora. Todos muito bem dispostos, querendo disseminar a coletividade pelo mundo e rasgando seus ideais em frente da camera.

Eles também entrevistaram o Macaco Bong, e o vídeo pode ser conferido clicando aqui.

Pra gente, Campina Grande foi uma surpresa muito agradável.

13/12 – domingo

Maceió (Ney falando de volta)

O AL é o estado que tem as paisagens mais embasbacantes de toda a tour. A vista caracteriza a geografia: bem vindo ao Alagoas.

O Coletivo de lá também é recém formado. A primeira iniciativa de ação em grupo se deu em 2005, quando começaram a organizar o Festival Maionese. No ano seguinte surgiu o Popfuzz, atuando como um selo virtual. O primeiro contato com o Fora do Eixo ocorreu quando foram absorver tecnologia no Festival Mundo (João Pessoa-PB), com o Lumo Coletivo, de Recife(PE).

E há dois meses atrás o mesmo Lumo(Gabriel Cardoso) voltou a Maceió, dessa vez acompanhado de Espaço Cubo (Pablo Capilé) e Goma (Talles Lopes).

A proposta da Tour passar por Maceió fez com que o PopFuzz entendesse que tinha extrapolado as ações de selo e tinha se tornado um coletivo.

E vários frutos podem ser colhidos da passagem da tour pela cidade:

O proprietário da Jungle (casa onde foi realizado o evento) já quer fechar calendário em parceria com o coletivo (lotou no domingo!). O Podcast Mais Retorno proporcionou a primeira experiência com a transmissão e já acertou de fixar a ação. A meta agora é tocar a barca com os encaminhamentos propostos na reunião da Regional Nordeste, que ocorreu na Feira Música Brasil, em Recife.

14/12 – segunda

No dia seguinte tomamos um cafezão caprichado no Mercado Central e fomos conhecer a Praia do Francês. Ambiente incrível, as imagens falam por si.

E tchau Maceió, bora pra Aracaju.

O evento em Aracaju teve a vantagem de ser segunda a noite, em praça aberta, com tudo quanto é tipo diferente de gente. E o mais bacana é que as 4 bandas que se apresentaram prenderam a atenção da galera, muito disposta a conhecer coisas novas – Isso sem contar a rapaziada que já conhecia o Plástico Lunar (banda local) e o Macaco Bong.

A estrutura de som foi a maior e melhor da tour (exceto o mega palco da Feira), com o baixo “treme terra”. Ou, na definição de Léo Maringo,  guitarrista do Burro Morto: “Hoje o baixo vc tá sentindo, nao tá só ouvindo”. As instrumentais (Macaco e Burro Morto) ficaram uma paulada, e o show do Porcas só revelou o tamanho da giganteza da banda. Em palco grande os caras se sobrassaem e fazem um puta de um espetáculo.

E a noite foi especial por ser um evento com 4 bandas da Agência Fora do Eixo, sendo duas do Nordeste, uma do Centro Oeste e uma do Sudeste. Além do caráter de auto gestão as bandas da Agência se caracterizam também pela originalidade e qualidade estética. Um puta case!  Foi a primeira vez que vimos o show da Plástico Lunar e ficamos muito empolgados com a banda.

O Coletivo de lá é a Rede Música Sergipe, criada há cerca de um mês e é um aglomerado de produtores e bandas. A integração com o Circuito traz esperanças de uma maior integração na cena, uma vez que, segundo os próprios, a cidade passou por um bom tempo de ostracismo, mas agora a circulação de bandas e as trocas de tecnologia serão melhor mobilizadas.

15/12 – terça

Na manhã seguinte, o café da manhã foi na Casa Rua da Cultura, que também é gerida pela mesma equipe que organiza os eventos na Rua da Cultura. Um puta de um espaço foda alugado pelo Ministério da Cultura (são Ponto). Lá ocorrem apresentações teatrais do grupo da casa, proporcionando que ocorram temporadas. Há também o trabalho de formação de atores para teatro e circo. Isso sem contar a biblioteca – o espaço foi também contemplado como um Ponto de Leitura.

No meio desse corre, o tempo no pc tem sido escasso, dividido entre escrever os textos, selecionar e editar fotos, tentar subir no flickr (depende da conexão)…  Isso nos lugares em que o 3G pega. E ainda dividindo as necessidades internéticas de 19 neguinho…

Mas a maneira mais rápida de trazer informações e até fotos, tem sido através do twitter, essa revoluçãozinha do hipertexto. Anotaí:

www.twitter.com/lumocoletivo

www.twitter.com/macacobong

www.twitter.com/porcasapasseio

www.twitter.com/burromorto

www.twitter.com/benthroldo

www.twitter.com/neyhugo

www.twitter.com/mayracarey

Ontem chegamos em Salvador, no Boomerang, já encontramos o Big Bross e a Kassinha. Isso após passar quase o dobro das 5 horas calculadas de Aracaju-Salvador, devido a reformas e acidentes na estrada.

Daqui a pouco entra no ar o próximo post sobre Salvador, o último da etapa Nordeste (Mayra tá escrevendo). PS. O Burro Morto ja voltou pra João Pessoa.

Fotos:

www.flickr.com/cfetourne2009

www.flickr.com/cfetourne2009_2

Chegada em Campina Grande...
 
Chegamos e os meninos do NaTora nos levaram pra um delicioso jantar num restaurante que eu queria muito indicar pra vocês, caros leitores... mas eu realmente nao lembro o nome, vou perguntar pros meninos. TourNE Zoo indica: Tabua de carne. Melhor janta de toda turnê!
De lá, nos dividimos - é difícil ser tanta gente - e fomos nos arrumar pro show no Bronx. Como era impossível a internet 3g em Campina Grande, tive que roubar o wifi de um garoto, simpático, porém caladão, que teve a bondade de ceder o banheiro, pra que essa pobre menininha pudesse tomar seu banhinho - e continuar sendo menininha. Não contente, quis a internet também, porque saibam, meus caros, 3g não rola em Campina Grande, aproveitei pra twittar algumas coisinhas, e me fazer presente no mundo nerdístico. 
Bem, todos prontos, fomos pra naite de Campina Grande, Bronx! Lançamento do coletivo NaTora.
Tudo começou bonitinho, com a banda dos meninos, Sex On the Beach, que levantou a casa. Deu pra ver que os meninos são bastante populares em Campina Grande, principalmente quando rolou "Emílio é viado", cantado por quase todas as meninas do recinto.
Burro Morto mostrou que é sucessoooooooooo de vendas no interior da Paraíba, geral. 
ok, começar paragrafo denovo... nao sei... falar de Burro Morto
A gente aproveitou a oportunidade pra entrevistar os meninos do NaTora. Todos muito bem dispostos, querendo disseminar a coletividade pelo mundo e rasgando seus ideais em frente da camera.
 
Pra gente, Campina Grande foi uma surpresa muito agradável. 
Anúncios

2 Respostas para “João Pessoa + Campina Grande + Maceió + Aracaju – Tudo Lotado!

  1. Ma rapá, campina grande tem 3G sim, só nao tem da oi d;

  2. Esse relato ficou fóda!
    (só uma coisa, o link com o relato do coletivo mundo está quebrado!)

    beijos.
    parabéns pela produção, nem parece que textos e fotos foram postados às pressas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s