Entardecer Hermano

Passando pelo cemitério onde está a lendária frase ” Nós que aqui estamos por Vós Esperamos” notei uma movimentação, bom, já dá pra saber que amanhã cedo do alto falante da Matriz  vai tocar um Ave Maria, e que toda a população será convidada para o enterro de alguém, é assim, aqui todos tem a morte anunciada. Na Fundação bonecões e figuras como o Corpo Seco e o Saci estão representados em tamanho real, os casarões  vizinhos demonstram toda a história longínqua dessas terras, o prédio de Taipa ( um tipo de pau-a-pique) com mais de 200 anos dá uma impressão de que aqui o tempo parou. Enquanto isso pessoas com a mesma intenção, de propagar a cultura e difundir novas idéias estão se movimentando para receber os hóspedes, três caras de uma banda que vem da Argentina, e outros quatro de uma banda de Pernambuco, além do motorista, e uma acompanhante da tour, a Isis, que faz parte e corrobora com essa  idéia um tanto quanto insensata de rede de coletivos…. Rede de coletivos por aqui é rede cheia de peixe, pescado na imensa represa onde deságuam os rios Paraibuna e Paraitinga e formam então o Paraíba do Sul. Mas é aqui mesmo que surgiu o Maiêutica, um coletivo de cultura multi linguagens, com a maior diversidade de idéias, idades, culturas, artes e pessoas “iluminadas”, que agora é com orgulho um Ponto de Articulação da Rede Social Fora do Eixo.

Nesse cenário digno de filme aconteceu hoje o show das bandas Falsos Conejos e Joseph Tourton, que foi um sucesso, quem abriu foi a banda da cidade “Os Nosthalgicos” que também fez bonito.

Foi pra nós impressionante o público que prestigiou as bandas que tocaram na Fundação Cultural Benedicto Siqueira e Silva, local situado em frente a igreja Matriz e a praça principal da cidade, aquela mesma que o pessoal come pipoca após a missa, com direito a coreto e a  bancos aconchegantes. Lindo de ver o pessoal curtindo o som, ainda mais em Paraibuna uma cidade miúda, com cerca de  apenas 16mil habitantes e apenas 6 a 7 mil moradores na área urbana.

Muito bom também a aceitação do público, que não está acostumado com sons autorais, o som instrumental das duas bandas, impressionou e agradou os moradores de nossa mítica, singela e pitoresca cidade, saíram comentando sobre o que presenciaram ali e elogiando o que ouviram.

Para o Coletivo Maiêutica é emocionante saber que podemos ajudar a proporcionar isso para os “nossos” , aqueles, acostumados com a vida nesse lugar onde “todo dia é domingo”, e a felicidade da parceria do Maieutica representando a população com o poder público municipal estar dando tão certo, exercendo efetivamente então a política publica em Paraibuna.

Amanhã nossos amigos provavelmente acordarão tarde, estão em um sítio longe do caos urbano, o despertar será com o som das aves, e se algum deles se aventurar em passear pelas redondezas encontrará sempre um sorriso amigo e simples, característico das pessoas do interior e se olhar bem poderá saborear uma fruta no pé, já que é tempo de muitas.  Não vai dar tempo de visitar o Mirante do Morro do Remédio, nosso local de “pouso de OVINIS”, mas o anfitrião terá o cuidado de levar todos até a Bica d’agua, que possui a frase: “Quem bebe da água da bica , aqui fica”  e a interpretamos : Aquele que beber da nossa água pra Paraibuna sempre vai voltar. E então estaremos sempre de braços abertos para todos os visitantes que quiserem presenciar um pouco de nossa cidade rodeada de histórias fantásticas e de pessoas simpáticas, por quantas vezes quiser vir nos prestigiar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s